liberte seu texto!

De portas abertas

A infância é uma gaveta fechada, numa antiga cômoda de velhas magias. (Vinícius de Moraes) Era meados de junho. Como em todo o final de estação, Helena arrumava os armários e separava o que não queria mais para entregar a instituições de caridade. Fazia isto com o…

O Bule cor de rosa

Minha avó era alemã. Fugiu de sua pátria amada, durante os horrores da primeira grande guerra. Aos meus olhos de criança, ela    nunca foi jovem; minhas lembranças me conduzem a uma velha senhora de pequenos e apagados olhos azuis, pele rugada pelo tempo e coluna bem curvada. Mas, tinha uma energia…

Natal na estrada

            Fomos convidados a passar o Natal na casa da minha irmã, interior do Estado. Nossa filha, que trabalhava no comércio, atrasou bastante a partida. Se tudo corresse bem, ainda chegaríamos a tempo de cear e abrir os presentes – antes da meia-noite. Mas não correu tudo bem. No trecho mais…

Ai de ti, Porto Alegre

Ai de ti, Porto Alegre!Ai de nós, que te amamos, apesar de teus arroios mal cheirosos e de teu rio, depósito de corpos estranhos.Ai de ti, Porto Alegre, curtida em teus calorões de menopausa tardia, rodada de bar em bar, da Restinga ao Sarandi.Ai de nós, filhos degenerados, que sugamos teus morros…

Escarpim preto, no. 36, salto 10

          Jamais gostei de viver só. Desde muito novo, andava me enrolando com alguma meia de seda. Meu estilo garboso e requintado exigia que eu não me envolvesse com qualquer uma. Meias grossas não tinham vez comigo. E, mesmo as finas, quando ficavam velhas e furadas, eram trocadas pelas mais…

Negro cheiroso

Fui apresentada a ele quando comecei a trabalhar. Era, de certa forma, uma situação inusitada, pois minha família não o apreciava. No escritório, parecia que todos gostavam e estavam habituados a ele, menos eu. Tentando disfarçar, eu participava das rodinhas de bate-papo com os colegas. Ele era…