liberte seu texto!
categoria

Conto

Natal na estrada

            Fomos convidados a passar o Natal na casa da minha irmã, interior do Estado. Nossa filha, que trabalhava no comércio, atrasou bastante a partida. Se tudo corresse bem, ainda chegaríamos a tempo de cear e abrir os presentes – antes da meia-noite. Mas não correu tudo bem. No trecho mais…

Escarpim preto, no. 36, salto 10

          Jamais gostei de viver só. Desde muito novo, andava me enrolando com alguma meia de seda. Meu estilo garboso e requintado exigia que eu não me envolvesse com qualquer uma. Meias grossas não tinham vez comigo. E, mesmo as finas, quando ficavam velhas e furadas, eram trocadas pelas mais…

Desespantalhamundos

Tinha aquela menina. Fazia o padre rifar seus pecados com a ave-maria-cheia-de-graça na ponta da língua e o aleluia por debaixo da batina, em uma oferta que desassossegava até as excelências mais castas, quando a boca entreaberta presenteava a língua à hóstia. Catequizada no rigor bíblico, nas…

Ponha a culpa em Gilda

Difícil lidar com esse troço, sempre foi. Eu, com quase trinta anos, pensando em homens e mulheres, e sem saber se os outros eram como eu. Ninguém nunca me contou nada parecido. Quando criança, eu geralmente me enxergava como menino e fazia coisas de menino: jogava bola com a turma da rua, saía pra…

O verão de 79

O ócio é a oficina do diabo. Bobagem. Grandes feitos também podem nascer de momentos aparentemente áridos de vagabundagem. A tese passou pela minha cabeça enquanto tentava lidar com a ansiedade e o tesão diante das curvas daquela mulher que para mim havia se despido. Poucas, pouquíssimas horas…